quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Meu nome está na lista?

         Você passou. Essa é a frase que todo vestibulando quer ouvir no dia da tão esperada e assustadora lista de aprovados. Depois de meses (e muitas vezes, anos de estudo), é a hora de enfrentar a tão dolorosa realidade e procurar seu nome entre tantos outros. Felizmente, em 2015, tive a incrível experiência de passar por esse incrível momento nas duas faculdades para qual me candidatei. E era de se esperar que todos os meus problemas estariam resolvidos a partir daí, não é mesmo?
         Errado. Como uma questão que você esquece de marcar no gabarito, passar em uma boa faculdade, ou até mesmo a dos seus sonhos, não garante que você vai ser feliz quando entrar no curso. Eu, tão planejada e segura de minhas escolhas, vi meu mundo desabar quando, após poucos meses em Letras, percebi que não estava no lugar certo. Observei cada uma das minhas metas, das minhas datas idealizadas, desmoronarem diante de meus cadernos tão bem completos e cheios de informação.
         A vida não é algo preto no branco, nossa realidade é totalmente tomada por áreas cinzentas. Sentir-se triste e decepcionado por não ter passado não é uma sensação eterna, como comemorar uma entrada pode não ser seu caminho certo. O importante é continuar arriscando, permanecer tentando e nunca desistir dos seus sonhos. Se você quiser tentar de novo, tente um milhão de vezes. Se você quiser mudar de ideia, mude. Se você precisar de tempo, dê esse tempo a si mesmo.
         Nenhum plano nunca foi, nem é e muito menos será imutável durante sua jornada. Talvez esse percalço só seja aquela linha torta de qual sua mãe sempre falou. Muito provavelmente essa sua fase ruim vai durar tão pouco em comparação com os momentos bons que há pela frente. E pode ter certeza que nenhuma nota nem aprovação alguma definirá o seu futuro tanto quanto sua força e determinação. Você não é o vestibular. Você é essa pessoa incrível que um dia alguma faculdade vai considerar orgulhosamente como seu aluno.
         Eu passei. Comemorei. E saí. Não se esqueça que o caminho inverso é sempre possível. As suas lágrimas são só a bebida que alimentará a sede de seu sonho. Não considere nenhuma derrota como sua última chance; ela é apenas a primeira tentativa de um novo round. A partida só acaba quando você desiste. Então, o jogo será eterno, não é mesmo?

Texto feito em homenagem aos atuais e futuros vestibulandos que continuam se esforçando para alcançar seus sonhos e objetivos.
Beijinhos, Beatriz.

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Fui Desventurada - A Sala dos Répteis

       Em minha ânsia por mais dos irmãos Baudelaire, devorei o segundo livro de "Desventuras em Série" no dia seguinte em que terminei o primeiro. "A Sala dos Répteis" nos leva de volta ao mundo triste do trio órfão em uma virada repentina, mas infelizmente pouco duradoura de felicidade. Nesse volume, somos apresentados ao novo tutor dos protagonistas após eles serem salvos das mãos do cruel conde Olaf.
       O querido doutor e cientista Montgomery Montgomery (sim, o nome e sobrenome são realmente iguais!) acolhe da forma mais amorosa possível Violet, Klaus e Sunny em sua casa. Entretanto, o novo lar dos irmãos tem uma peculiaridade: como o dr. Montgomery é especialista em cobras, todos os ambientes da casa (inclusive o jardim) são decorados com imagens desses animais. Além disso, a mansão ainda abriga a Sala dos Répteis que contém dezenas de espécies de cobras, lagartos e sapos (que são erroneamente tratados como répteis, já que sapos são anfíbios).
       Tudo parece bem até que não está. Apesar de os répteis não serem perigo nenhum para os órfãos, a tragédia é novamente atraída para onde eles estão como se fossem um ímã. Vendo sua vida novamente em risco, os irmãos conseguem ser mais criativos dessa vez e dependem menos da sorte no que no volume anterior. Gostei do aumento da participação da bebê Sunny e odeio cada vez mais o estúpido tutor financeiro, sr. Poe. Diverti-me mais uma vez com o modelo leve e extremamente rápido da leitura.
       Sinceramente, cada livro até o momento se assemelha com um episódio de série na primeira temporada - os enredos são lançados, desenvolvidos e resolvidos sem o desagradável "enchimento de linguiça". Esse ritmo ágil tem sido uma experiência diferente, mas muito agradável. Estou na torcida para que os próximos livros continuem sendo tão adoravelmente trágicos como os dois primeiros!
Beijinhos, Beatriz.

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

E o Oscar vai para...

        A temporada de premiações está aberta! Com o acontecimento do Globo de Ouro na semana passada, resolvi seguir a onda e aproveitar para fazer o post de melhores livros lidos em 2016. Sei que a maioria dos blogs fez uma postagem desse tipo nos últimos dias do mês passado, mas eu o adiei, pois ainda estava terminando de ler o último livro do ano na tarde do dia 31 de dezembro!
        Confesso que foi extremamente difícil escolher as categorias e os livros favoritos, pois 2016 foi um ano de leituras ótimas. Dos 52 livros que li, apenas 3 livros receberam 3 estrelas, enquanto só 1 foi avaliado com míseras 2 estrelas. Por causa disso, escolher aqueles que, entre os melhores, mais me conquistaram foi uma tarefa quase impossível! Espero que gostem das minhas escolhas.

O Melhor Clássico: Odisseia - Homero

        Eu sempre fui apaixonada por mitologia grega, mas nunca tinha tido a oportunidade de ler as grandes obras de Homero que apresentam as bases para o que sabemos sobre os mitos. Apesar de ter sido uma leitura obrigatória para a faculdade de Letras, desde o início, fui fisgada pelas aventuras de Odisseu e pela presença de tantas criaturas e deuses incríveis. Também li Ilíada, mas confesso que o ritmo arrastado das primeiras batalhas e a quantidade exorbitante de personagens me impediu de escolher a obra ambientada na Guerra de Troia como minha favorita.

O Melhor "Revival": Minha vida fora de série: 1ª temporada - Paula Pimenta

        Nesse ano, fui abençoada com a volta de várias de minhas séries favoritas (e não apenas de Gilmore Girls). Pude revisitar o mundo de America e Maxon (em A Herdeira e A Coroa) e embarquei novamente para Hogwarts com Alvo e Scorpius (em Harry Potter e a Criança Amaldiçoada), mas foi o universo da Paula Pimenta que me pareceu mais fiel à história original. Em Minha vida fora de série, finalmente conhecemos mais sobre a vida da Priscila, uma personagem querida, mas bem secundária em Fazendo meu filme. Ao contrário do que aconteceu com a Eadlyn (protagonista dos novos livros de A Seleção) e com as inconsistências de A Criança Amaldiçoada, os livros sobre a Priscila, principalmente o primeiro, conseguiram me transmitir a mesma doçura que senti quando li a história original.

A Melhor Surpresa: O Livro de Memórias - Lara Avery


        Se você quer chorar, leia O Livro de Memórias. Se você quer valorizar a vida, leia O Livro de Memórias. Se você quer ler um dos melhores livros do ano, leia O Livro de Memórias. Definitivamente, o livro de Lara Avery foi a maior surpresa de 2016, já que eu nunca havia lido nada da autora e nem mesmo sabia muito sobre como a história da Sammie seria contada. Lembro-me de ter me apaixonado pela sinopse após lê-la em um blog (me desculpem por não lembrar qual!), mas nunca imaginei o efeito devastador que a história teria em mim. Só digo que passei mais de uma hora chorando depois de terminá-lo.

A Melhor Série: Desventuras em Série - Lemony Snicket

        Do Natal ao Ano Novo, eu li 5 dos 13 livros em uma sequência alucinada de leituras. Sem me decepcionar com nenhum dos exemplares, eu não poderia escolher outra série para ocupar o lugar de melhor do ano. Como vou descrever mais detalhadamente nos próximos posts do especial Fui Desventurada, a história fica melhor a cada novo volume e eu nem consigo imaginar onde ela irá me levar. E, para melhorar ainda mais, hoje a Netflix lançou a primeira temporada da série inspirada nos livros. Não deixem de conferir!

O Melhor Livro de Poesia: Ilustre Poesia - Pedro Gabriel

        Esse ano, graças também à faculdade de Letras, eu resolvi expandir meu campo de leitura e me arrisquei na leitura de alguns livros de poesia. Apesar de ter lido Sonetos de Amor (de Camões), Claro Enigma (de Drummond) e Citações e Pensamentos (de Fernando Pessoa), foram as poesias contemporâneas de Pedro Gabriel e Clarice Freire que realmente me arrebataram esse ano. Entre os quatro livros que li dos autores citados, acabei por escolher Ilustre Poesia, pois foi o mais inovador e inspirador!

O(a) Melhor Autor(a): Paula Pimenta

        Após ter me apaixonado por sua escrita em 2014, 2016 foi finalmente o ano em que conheci a incrível e querida Paula Pimenta. Dos 52 livros lidos, 6 foram da autora, o que a colocam no pedestal de escritora que mais li ano passado. Além da quantidade, a qualidade de nenhuma das histórias me decepcionou, o que me animou para continuar a acompanhar todas as novas obras da Paula. Nem preciso dizer que o encontro com a autora foi um momento tão mágico como as cenas dos seus livros, né? Agora só falta um final feliz para o Rodrigo e a Priscila e tudo fica perfeito!

Melhor livro: A Revolução dos Bichos - George Orwell

        Eu achei que não seria capaz de escolher o melhor livro do ano, já que adorei vários além dos citados anteriormente no post. Entretanto, logo percebi que um livro em específico me marcou mentalmente (além de emocionalmente, como ocorreu com O Livro de Memórias): A Revolução dos Bichos. Em 2014, li 1984 do mesmo autor como leitura obrigatória da escola e me surpreendi com a maneira incrível que o clássico conseguia se encaixar perfeitamente na nossa realidade. Com A Revolução dos Bichos, o choque foi ainda maior, principalmente com as crises políticas que vemos pipocando em tantos países como o nosso. Esse é um daqueles livros que todos deveriam ler antes de formar uma opinião política. É impossível não desconstruir alguns pré-conceitos (e preconceitos) enquanto vemos a Granja dos Bichos se autodestruir!

E vocês? Tiveram muitas leituras boas em 2016? Leram algum dos livros acima?
Beijinhos, Beatriz.

sábado, 7 de janeiro de 2017

Fui Desventurada - Mau Começo

       Já faz um bom tempo que eu tenho vontade de ler os 13 livros de "Desventuras em Série". Entretanto, como eu cheguei bem atrasada à febre dos irmãos Baudelaire (a série foi escrita entre 1999 e 2006), nunca conseguia encontrar nenhuma loja que disponibilizasse todos os livros e isso claramente acabava me desanimando. Foi apenas no segundo semestre desse ano que a sorte finalmente virou ao meu favor e o box de "Desventuras em Série" voltou a ser produzido.
       Minha alegria foi imensa, mas contive meu desejo e prometi que só iria obter o box como presente de Natal. Porém, com a proximidade da Black Friday, me preocupei que o produto esgotasse e pedi finalmente que meu pai o comprasse. A entrega foi mais rápida do que eu esperava e eu vi novembro e dezembro passarem lentamente até o momento em que pude abrir essa caixinha linda na madrugada do dia 25. E é agora que posso contar a vocês o especial que desde o começo eu estava planejando: o Fui Desventurada.
       A cada livro lido, vou escrever sobre minhas experiências nas desventuras do trio órfão Violet, Klaus e Sunny. E, ao fim de tudo isso, ainda prepararei uma surpresa com relação a certa adaptação que vem por aí... Mas chega de enrolação, pois, como devorei o primeiro livro no próprio dia 25, é hora de contar o que achei!
       "Mau Começo" inicia-se anunciando a desgraça que a vida dos irmãos Baudelaire está prestes a se tornar: seus pais acabaram de morrer em um incêndio que destruíra sua casa. Apesar de sem família e sem lugar para morar, Violet (14 anos), Klaus (12) e a bebê Sunny herdaram uma fortuna majestosa que só poderá ser acessada quando a irmã mais velha completar 18 anos. E é justamente esse dinheiro que os colocam em sério perigo ao serem adotados pelo primo de terceiro ou quarto grau, o conde Olaf. Logo, percebemos e somos avisados de que esse cruel homem só busca roubar a herança dos órfãos e não medirá esforços para isso.
       Apesar do pouco número de páginas (apenas 152), o livro cumpre maravilhosamente bem a missão de nos introduzir ao clima da série. Escuro e sofrido, mas ainda divertido graças à narração do misterioso e irreverente Lemony Snicket, "Mau Começo" narra um episódio específico sem se tornar nem um pouco entediante. Definitivamente, uma leitura fácil, rápida e perfeita para quem gosta de aventuras ou de narrativas sarcásticas. Estou preparadíssima para seguir essa jornada!
E vocês? Já leram essa série?
Beijinhos, Beatriz.

terça-feira, 3 de janeiro de 2017

Meu Aeroporto Literário - Dezembro


        Feliz Ano Novo! Sei que estou um pouco atrasadinha, mas não dá para começar o primeiro post do ano de outra maneira, não é mesmo? E nada melhor que começar 2017 com o querido quadro Meu Aeroporto Literário! Como eu queria completar minha meta de 50 livros lidos, o movimento da minha estante em dezembro foi bastante intenso e é hora de mostrar a todos vocês o que aconteceu por aqui.

1- Balcão de Check-in (Livros que comprei ou ganhei)
        *Minha vida fora de série: 2ª temporada - Paula Pimenta
        *A Queda dos Cinco - Pittacus Lore
        *Contos de Imaginação e Mistério - Edgar Allan Poe
        *Cidade dos Etéreos - Ransom Riggs
        *Mau Começo - Lemony Snicket
        *A Sala dos Répteis - Lemony Snicket
        *O Lago das Sanguessugas - Lemony Snicket
        *Serraria Baixo-Astral - Lemony Snicket
        *Inferno no Colégio Interno - Lemony Snicket
        *O Elevador Ersatz - Lemony Snicket
        *A Cidade Sinistra dos Corvos - Lemony Snicket
        *O Hospital Hostil - Lemony Snicket
        *O Espetáculo Carnívoro - Lemony Snicket
        *O Escorregador de Gelo - Lemony Snicket
        *A Gruta Gorgónea - Lemony Snicket
        *O Penúltimo Perigo - Lemony Snicket
        *O Fim - Lemony Snicket

        Ufa! Achei que não ia conseguir acabar de digitar essa lista nunca! Como vocês viram no post Desembrulhando meu Natal literário, eu ganhei 16 dos 17 livros acima no Natal, sendo que 13 deles são do box da saga Desventuras em Série, escrita por Daniel Handler sob o pseudônimo de Lemony Snicket. A única compra que fiz esse mês foi a de Minha vida fora de série: 2ª temporada, pois realmente não estava me aguentando de curiosidade para saber como continuaria a vida da Priscila!

2- Portão de Desembarque (Livros lidos)
        *Mitos Gregos - Nathaniel Hawthorne
        *Minha vida fora de série: 1ª temporada - Paula Pimenta
        *Minha vida fora de série: 2ª temporada - Paula Pimenta
        *Citações e Pensamentos - Fernando Pessoa
        *Mau Começo - Lemony Snicket
        *A Sala dos Répteis - Lemony Snicket
        *O Lago das Sanguessugas - Lemony Snicket
        *Serraria Baixo-Astral - Lemony Snicket
        *Inferno no Colégio Interno - Lemony Snicket

        Em dezembro, descobri duas coisas sobre minha vida literária: que eu não sirvo para escolher minhas próximas leituras no começo do mês (como tentei inutilmente fazer no post O que vou ler - Dezembro) e que eu amo Desventuras em Série! Meu objetivo para o último mês do ano era ler 7 livros e eu consegui ler, na verdade, 9. Entretanto, li apenas 3 dos livos que tinha escolhido (e, por isso, desistirei do tipo de post citado anteriormente) e me afundei na série maravilhosa que ganhei de Natal. Antes que me perguntem sobre as resenhas, podem se preparar que muitas surpresas de Desventuras em Série estão sendo preparadas para chegar aqui no blog ainda em janeiro!

3- Voo de Cruzeiro (Livros que estou lendo)
        *O Sangue do Olimpo - Rick Riordan

        Já que terminei dois livros que estavam parados em novembro (Mitos Gregos e Citações e Pensamentos), só sobrou O Sangue do Olimpo ainda em aberto. Para não deixar essa leitura se arrastar por ainda mais tempo, resolvi começar 2017 recomeçando a leitura desse volume da série e pretendo terminá-la antes de começar o próximo livro! Assim, eu evito abandoná-la mais uma vez.

4- Fila de Embarque (Livros que continuam na estante)
        *A Bela e a Fera - Madame de Beaumont & Madame de Villenueve
        *A Queda dos Cinco - Pittacus Lore
        *Contos de Imaginação e Mistério - Edgar Allan Poe
        *Cidade dos Etéreos - Ransom Riggs
        *O Elevador Ersatz - Lemony Snicket
        *A Cidade Sinistra dos Corvos - Lemony Snicket
        *O Hospital Hostil - Lemony Snicket
        *O Espetáculo Carnívoro - Lemony Snicket
        *O Escorregador de Gelo - Lemony Snicket
        *A Gruta Gorgónea - Lemony Snicket
        *O Penúltimo Perigo - Lemony Snicket
        *O Fim - Lemony Snicket
        *O Mundo Imaginário de... - Keri Smith
        *Grande sertão: Veredas - João Guimarães Rosa
        *A Guerra dos Tronos (As Crônicas de Gelo e Fogo) - George R.R. Martin
        *P.S.: Ainda amo você - Jenny Han
        *Drácula - Bram Stoker
        *Diary of Anne Frank - Anne Frank
        *Dom Casmurro - Machado de Assis
        *A Letra Escarlate - Nathaniel Hawthorne
        *Os Instrumentos Mortais: Cidade dos Anjos Caídos - Cassandra Clare
        *Morte Súbita - J.K. Rowling
        *Gabriela, Cravo e Canela - Jorge Amado     
        *Fogo Morto - José Lins do Rego

        A verdade dói, mas ela deve ser dita: eu realmente não posso comprar mais nenhum livro antes de diminuir essa pilha. No total, 24 livros encontram-se à espera de serem lidos. Eu pretendo aproveitar janeiro para adiantar bastante as leituras e deixar essa pilha com, no máximo, 16 livros. Obviamente, pretendo ler mais alguns volumes de Desventuras em Série, além de terminar O Sangue do Olimpo e ler também P.S.: Ainda amo você. Será que consigo?

E vocês? Como foi a movimentação da sua estante no último mês de 2016?
Beijinhos, Beatriz.

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Organizando minha caixinha de marcadores!

        Eu, como muitos outros leitores, sou totalmente apaixonada por marcadores de páginas e coleciono todos que consigo encontrar! Costumo sempre pegar alguns no caixa das livrarias quando compro algum livro, então vocês imaginem quantos já consegui dessa maneira. Já que é de graça, temos que aproveitar a oportunidade!
        Por causa desse meu hábito, a caixinha onde eu guardava os meus marca-páginas finalmente ficou pequena para guardar todos eles. Confiram abaixo como ela estava:



        Dentro dessa caixinha, estava a maioria dos 238 marcadores que eu tenho. Alguns deles são repetidos (já que eu costumo pegar vários dos meus favoritos, pois acabo os danificando facilmente com o uso), mas quase todos são diferentes. Inclusive, nessa coleção tenho alguns especiais, como os marcadores comprados em Paris (os que estão na frente da foto acima) e o marcador da Grifinória que comprei no The Wizarding World of Harry Potter, em Orlando.


        Como vocês podem perceber, definitivamente essa quantidade enorme já não caberia mais na caixinha pequena que eu possuía. Alguns marcadores já estavam até ficando deformados por causa do aperto! Por causa disso, minha mãe resolveu também me dar de Natal uma nova caixinha para que eu pudesse guardá-los adequadamente. 



        Nem preciso dizer que amei a nova caixinha, não é mesmo? A estampa de corujinha, além de já ser maravilhosa naturalmente, ainda vem com vários detalhes em glitter que não apareceram na foto! Ou seja, um amorzinho completo. Entretanto, não foi só a beleza que fez dessa caixinha perfeita, mas também a maior disponibilidade de espaço que me permitiu organizar perfeitamente os meus marcadores (como vocês podem ver acima)! Agora, todos cabem na caixinha e ainda há espaço para aumentar minha coleção.
E vocês? Têm o hábito de colecionar marca-páginas?
Beijinhos, Beatriz.

Obs: Caso alguém deseje saber de onde são essas caixinhas, ambas são da loja de pijamas Puket!

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Me Indicaram: Dias da Semana em Livros

        Hoje, é hora da última tag do ano! Apesar de eu não ter respondido tantas durante 2016, gostei que todas tinham propostas bem diferentes e a que responderei agora é provavelmente a minha favorita. Quem me indicou para responder a tag "Dias da semana em livros" foi a Tamara do blog Le Cafe Rouge. Muito obrigada pela oportunidade, adorei mesmo! Então, é hora de conferir minhas escolhas...

Domingo: Um livro que você não queria que terminasse

        A série "A Seleção" é uma das minhas favoritas desde 2012, então eu passei por toda a ansiedade de esperar as sequências do primeiro livro saírem e morria de curiosidade para saber como seria o desfecho de America. Quando "A Escolha" finalmente chegou em minhas mãos, eu só conseguia pensar que não queria que aquela história acabasse (como eu iria deixar o lindo do Maxon guardado na minha estante?). Mesmo com o lançamento depois da série sobre a filha da America, eu não consegui sentir me conectar da mesma forma como acontecera com a trilogia original, apesar de ainda ter amado os dois mais recentes livros.

Segunda: Um livro que você teve/tem preguiça de começar

        Para esse dia da semana, eu nem tive que pensar. "Morte Súbita" está na minha estante desde o Natal de 2012 e eu até agora não tive ânimo para começá-lo. Na época que ganhei, estava apaixonada pela ideia de um livro novo da J.K., mas agora não consigo ver um motivo para dar o pontapé inicial na leitura. Pretendo, pelo menos, tentar começá-lo em 2017!

Terça: Um livro que você empurrou com a barriga ou leu por obrigação

        Eu sempre tento intercalar alguns clássicos entre minhas leituras mais contemporâneas e, quando meu amigo da faculdade decidiu vender alguns de seus livros, não perdi a oportunidade e comprei "A Moreninha" (junto com "Dom Casmurro", que ainda não li!). Entretanto, o plano não funcionou e a trama foi um tédio total para mim. Só li até o final por se tratar de um clássico da literatura brasileira e eu não queria desistir antes de poder avaliar a obra como um todo. 
Obs: essa não é a capa do meu exemplar, já que o meu é em capa dura preta com o título em dourado (não consegui achá-la na Internet!).

Quarta: Um livro que você deixou pela metade ou que está lendo no momento

        "Robinson Crusoé", infelizmente, é um livro que eu não consegui terminar. Como ele era leitura obrigatória para a disciplina de Teoria da Literatura I, tentei duas vezes na leitura, mas sempre não conseguia passar da página 110. Apesar de a história em si ser cansativa, acredito que o problema real foi a edição da Penguin com uma característica que me atrapalha muito: ela não apresentava divisão em capítulos. 

Quinta: Um livro de quinta, que você não recomenda

        "As feiticeiras de East End" me chamou atenção pela sua sinopse na livraria, tanto que o havia escolhido de presente para uma amiga. Entretanto, acabei não conseguindo dar o presente e fiquei com o livro na minha estante. Comecei a leitura super animada, mas logo me deparei com todos os clichês possíveis: amores repentinos e exagerados, cenas de sexo desnecessárias, estereótipos femininos e uma revelação final só para permitir sequências. Foi, definitivamente, a minha pior leitura do ano.

Sexta: Um livro que você quer que chegue logo (Lançamento ou Compra)

        Apesar de ter colocado a capa da 3ª temporada de "Minha vida fora de série", eu, na verdade, estou desesperada pela 4ª, que a Paula Pimenta ainda nem terminou de escrever. Só não li o terceiro livro da série ainda, pois não quero ficar em abstinência enquanto espero a Paula finalmente publicar o último! Espero que ela cumpra a promessa de lançá-lo em 2017, pois não aguento mais de curiosidade para saber se a Priscila e o Rodrigo vão ter um final feliz.

Sábado: Um livro que você quis começar novamente assim que ele terminou

        Fiquei bem indecisa na hora de escolher o livro para esse dia, pois tanto "Ilustre Poesia" quanto "Pó de Lua", da Clarice Freire, me deixaram com uma vontade louca de relê-lo assim que terminei. Entretanto, acabei escolhendo o do Pedro Gabriel, pois me apaixonei por tantos trechos do livro que tive vontade de marcar quase todas as frases e textos!

Tamara, novamente, muito obrigada pela chance incrível de participar dessa tag! Adorei ter que pensar nos livros dessa maneira.
E vocês? Já leram algum desses livros? Concordam com alguma das minhas escolhas?
Beijinhos, Beatriz.